quinta-feira, 30 de abril de 2009

Proibido usar:


Mulheres deste meu país, façam-me um favor, não usem, não usem mesmo:

- sapatos com sola tripla. Um conselho: se não têm a altura da Heidi Klum, paciência! Não tentem ser altas e esguias, pois o verão está à porta, e a praia não engana... os tamancos ficam junto à toalha.

- calças largas tipo “hippie” com a costura do meio perto dos tornozelos, que fazem lembrar um bebé gigante a andar de fraldas (cheias);

- unhas pintadas com mais de uma côr. É muito desagradável olhar para 10 unhas e tentar decifrar as obras de arte... será uma borboleta? Ou uma joaninha? Eu acho que é um pôr do sol na praia.... Foleiro!

- piercing no umbigo é permitido, excepto nos casos em que sentada, o piercing desapareça escondido pela banhinha da barriga. Ou têm uma barriga lisa e rija ou esqueçam;

- tinta amarela no cabelo. Ou fazem um trabalho profissional, colorando todo o pêlo do corpo, ou para andar de sobrancelhas pretas e cabelo louro... é mau demais.

- fumar como se não houvesse amanhã. Está out! O fumo em nada beneficia a sensualidade de uma mulher, incluindo o sorriso amarelo.

- brilhante no dente. Desculpem, mas a última vez que uma mulher me sorriu com um “diamante” nos dentes, só me lembrei do filme “Gato Preto Gato Branco”. Qualquer coisa que reluza num sorriso, não deverá ser um artifício colado nos dentes.

- buço oxigenado. Nota-se e ponto final. Não vale a pena poupar na cera. Para além do sol descobrir algo que aparentemente passa despercebido, também pica no beijinho, e não é nada agradável.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Virgens, juntai-vos!


Quando uma pessoa pensa que já tudo foi inventado e que o Mundo está a ficar velho e chato, aparece sempre uma mente brilhante. E que tal fazermos aqui um Clube de Virgens. Oi??! (para ler com sotaque brasileiro). Exacto. O Clube foi criado em Portugal em Janeiro de 2008, e já conta com.... esperem aí... estou a acabar de contar.... 9 e vão 2 mais 7.... ok, 1 membro efectivo com as quotas em dia. De acordo. Não são muitos. Sim, é a Sócia fundadora e Presidente, mas o que é que interessa o número de sócios?! Interessa é a qualidade dos mesmos (não se aplica ao Glorioso, queremos todos, mesmo os ranhosos barrigudos).

Esta sócia é a única para já, a reunir as qualidades necessárias para ter acesso ao cartão do Clube das Virgens, chama-se Magui, tem 25 anos e está de bem com a vida, e nunca cedeu à tentação carnal. Elaborou os estatutos disponíveis no seu site, do qual destaco o artigo 2º, que fala no Convívio das Virgens e na troca de experiências. Estou a imaginar: “Olá, eu sou a Anabela, sou virgem há 43 anos, e ontem estive quase quase mas ele foi-se abaixo. Será da próxima. Não posso desistir”. Ou então: “Olá sou a Margarete, gostava de partilhar a minha experiência, mas não tenho”.

Gosto muito da ideia do cartão de sócia. Os estatutos não são claros nas vantagens, mas imagino que existam parcerias com os cinemas, lojas, hotéis, etc que permitam às virgens obter descontos, sempre importantes em tempo de crise: “São dois bilhetes para o filme do Sá Leão “Badalhocas II”, mas tenho aqui o cartão e só pago um. Obrigado.”

Uma coisa é certa: a Magui é activa como oradora, e no passado dia 27 de Abril esteve no 6º congresso internacional do “espaço t”, subordinado ao tema «O desejo», que teve a particularidade de juntar ilustres convidadas como a Ciciolina e a Paula Bobone. Deve ter sido bonito. Espero pela edição em DVD!

terça-feira, 28 de abril de 2009

Celulite provoca acidentes


Épa, não me façam isto! Ontem ia-me espetando no carro da frente ao avistar estas pernas num Outdoor gigante. As pernas já por si não são curtas, agora imaginem ampliadas num painel 10 por 15 metros... É mais perigoso do que passar um vermelho no Marquês de Pombal, em hora de ponta! Se um gajo vai de telemóvel à orelha, pimba, multa... telemóvel distrai! E isto? Com pernas destas a passar-nos pelas vistas, quem é que olha para o carro da frente?! Mas temos de concordar numa coisa: a mensagem da publicidade é eficaz. Acredito perfeitamente que uma mulher, a pedalar numa bicicleta daquelas em plena areia de praia com aqueles tamancos, rebente com qualquer celulite que queira ficar por aquelas bandas. E tiro o chapéu àquela ciclista destemida. Reparem que o selim da pasteleira não tem aquelas modernices da almofadinha de gel para não assar, e mesmo assim ela aventura-se com umas cuequinhas fininhas e curtinhas e justinhas e tudo mais acabado em inhas. Valha-me Deusinhas.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Gripe Oinc-Oinc

Mas como é que a porcaria da gripe das aves passou para os porcos? Isto deve ter sido obra de alguma galinha doida e caliente que saltou para o curral do vizinho porco e pimba, lá vai disto. Deve ter sido bonito: Cocorocooocoo, oinc oinc oinc, cocoroco, oiiiiiincccc. Sempre achei o porco um animal querido e fofo, e não é por um deslize (quem não tem uma noite de loucura?!) que agora vou começar a chamar nomes ao porco, nem a discriminá-lo! Que seria de mim sem um bom entrecosto na brasa, ou uma bifana no pão?! E o belo do courato frito a pingar gordura, antes do Glorioso entrar em campo, na histórica roulote “Zeca Diabo”... Sem igual! E não é preciso vir um gajo da ASAE confirmar que o porco português está de boa saúde! Eu conheço muitos porcos, e sei, por exemplo, que o porco preto alentejano não se deixa levar por uma cantada de uma galinha chinesa qualquer. Há porcos e porcos, e os nossos são gente séria!
Minha rica Salsicha!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Tarzanismo

Se o Tarzan tivesse olho para o negócio teria dito à Jane para ir comprar umas cordas e umas plataformas de madeira e teria inventado o que hoje se chama de “Arborismo”, evitando andar sempre de tanga o resto dos seus dias. Foi preciso esperar mais alguns anitos para que surgisse esta actividade radical altamente recomendável, onde a adrenalina está na base de toda esta aventura. O cenário é realmente o habitat natural do Tarzan, com árvores altas e esguias e onde a lianas dão lugar a cordas e madeiras que permitem ligar um tronco a outro. Existem diversos níveis de dificuldade à semelhança das pistas de ski (do verde ao preto), dependendo da altura em que a travessia se faz do chão. Entre um slide pelo meio de galhos até ao equilibrismo em cima de um arame que une duas árvores a fazer lembrar “Man on Wire” mas com arnês bem apertado entre as pernas, tudo é espectável. Nunca pensei, por exemplo, que pudesse ter algum tipo de relação com uma árvore, mas a verdade é que acabei muitas vezes por ficar literalmente abraçado a um tronco, e senti que era realmente difícil largar e seguir em frente com a minha vida. São cerca de 2 a 3 horas bem passadas, que recomendo para toda a família ou grupo de amigos, seja na Serra da Boa Viagem na Figueira da Foz, no Parque Aventura, ou noutros locais que já aderiram à actividade, com preços a rondar os 15 euros por pessoa, sendo este um preço acessível para podermos libertar um grito à Tarzan do alto do seu habitat: aaahhhuuuuaaaaaaaaaa!

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Real Ugly


Todos devemos estar lembrados da recente e excelente campanha publicitária da Dove (Cremes), que inovou no mercado da beleza, através da introdução de um novo conceito: “Publicidade Real”. Ou seja, as pessoas que apareciam nos Outdoors não eram retocadas no computador em Photoshop. Eram reais. Lembro-me de ver uma mulher com alguns quilos a mais, e sem que algum Informático lhe tirasse a verruga da coxa esquerda. Este facto, potenciou as vendas do produto de forma brutal. As consumidoras identificaram-se de imediato com a “Real Beauty”, que foi o claim da Campanha.

Pois bem. Os malandros do PSD não andam a dormir! Sempre na vanguarda das tendências, não se deixaram ficar e rapidamente colocaram em marcha a Campanha às eleições legislativas da Dra. Manuela Ferreira Leite. Nos Outdoors espalhados pelo País podemos ver o busto da Dra. e ler o slogan: Política de Verdade. Ou seja, ali também não há Photoshop. A Dra. é mesmo assim. Feia todos os dias, mas real! Todas aquelas rugas são mesmo da Dra. Aquelas olheiras papudas, o cabelo em forma de abajur, o buço à Cantiflas... é mesmo tudo verdade! Eu acho que isto vai aproximar a Dra. dos eleitores... com mais de 98 anos. Sem dúvida!

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Transformers da Páscoa

Se há um sítio em que o português pacato e simpático se transforma, esse lugar estranho, mas frequentemente utilizado, chama-se: carro. Exactamente. Dentro do bolinhas todo o cavalheiro se transforma no maior jagunço psicopata do asfalto. É só ouvir o motor do estupor do carro a bombar, para começar a sentir o formigueiro no pé. Para que vos quero cavalos. Toca a acelerar até ao red line. É como se de outra pessoa se tratasse. Dupla personalidade. No trabalho é lento que nem uma lesma, encosta-se e gosta de coçar os genitais. No carro é rápido que nem um trovão, estupidamente impaciente, e gosta de se encostar ao carro da frente quando atinge os 180 km/h. Encostadinho e a fazer sinais de luzes. Se demorar muito ainda levas com a buzina acorda-camelos. Até aqui tudo bem. Quem é que já não ultrapassou pela direita na autoestrada e fez um manguito para o atrasado da frente que não saía nem por nada da faixa esquerda? E é cá uma sensação de libertação... uma massagem anti-stress ao ego.

Agora: estamos no final das mini-férias da Páscoa. Domingo, 18h. Autoestrada A2. Troço Grândola - Lisboa. 40 kms de bicha. Pára - Arranca. E tenho um camelo atrás de mim, montado num BMW artilhado com faróis tipo Alexandra Lencastre, a fazer-me sinais de luzes! Pensei duas coisas: mas para onde é que este Transformer da Páscoa quer ir? E por mil diabos, onde é que andam os faróis da Lencastre?

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Rei Marialva

Ontem fui a uma aula de Body Attack. Há muito tempo que os via do lado de fora do vidro, ora a saltar, ora a bater palminhas, ora a correr às voltinhas... , sempre achei que o nome da aula nada tinha a ver com aquelas Marialvas malucas histéricas aos gritinhos sincronizados pelo meio: uhhaaaa, ihhhaa... E sempre fiquei com a minha: ali não me apanham! Até ontem. E há uma lição a tirar disto: primeiro estranha-se e depois entranha-se. Se no primeiro quarto de hora os meus movimentos faziam lembrar um trolha a chapar massa na parede, com o passar dos minutos, a música e o ritmo tomaram conta dos meus passos. Fui possuído e converti-me às Marialvas. Na parte final senti que era eu quem saltava mais alto, e gritava de forma mais estridente: uhaaai..... quando todos já abrandavam o ritmo... uma perfeita doida! Percebi o sentido do nome Body Attack: o nosso corpo é realmente atacado... não sei bem por o quê. Sei que tudo passou com o duche frio! Pronto para outra aula!

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Monstros vs. Aliens - 3D Digital

Uma "pechincha" para hora e meia de entretenimento. Vale a pena levar miúdos e graúdos para mais esta aventura da Dreamworks, que continua a surpreender-nos com criatividade e inovação. Os óculos para ver a animação em três dimensões dão o mote para algo diferente, e que os miúdos (e eu) adoram! Inicia-se uma nova Era para a Sétima Arte, e por melhor que seja o vosso Homecinema com Sistemas BlueextraRay, Prologic Dolbysupersuround 12.1... esqueçam. Nada se compara ao grande ecran. Fui ver com os meus sobrinhos, e como tal, a voz da bela Susan ficou a cargo da Catarina Furtado, que em nada compromete a sensual, atlética e enorme personagem heróica.

Agora, não percebo como num País que se diz atento ao ambiente, permite esta política comercial dos cinemas, por exemplo, salas Lusomundo:

- Bilhete Normal: 5,70 €
- Bilhete 3D: 7,70 € (justificado acréscimo pelos Óculos)

Até aqui tudo me parece normal. Agora vem a parte Monstruosa: se a pessoa já tem os Óculos 3D (2 Euros) comprados noutras idas ao cinema para ver outros filmes, pode mandá-los fora, de nada servem, pois o preço é sempre 7,70 €, e tem sempre direito a Óculos novos. Reutilizar? Reciclar? Renovar?... nahhh isso é coisa de Aliens!

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Vende-se Imóvel corajoso para relação séria

Se há um benefício a tirar da crise, eu diria que é o desenvolvimento de competências. A crise é global, mas é tratada localmente. Não venham com tangas de concertação, resposta conjunta, políticas comuns dos Estados etc. Basicamente cada um responde à sua maneira e como pode. E aqui Portugal ganha vantagem! Conseguimos desenrascar qualquer coisa que seja, a qualquer hora e em qualquer lugar. E ainda funciona melhor se houver um prazo para cumprir. Para que toda a gente soubesse quem somos, proponho que todos os portugueses fossem baptizados com o mesmo nome de “família”: João da Silva Macgyver; Isabel Dias dos Santos Macgyver; Maria do Céu Macgyver; José de Sócrates Macgyver. Safamos-nos sempre. Dá-nos pica.

Vejamos o Imobiliário. O mercado estagnou. Aliás já ouvi quem defendesse que o mercado regrediu, o que também me parece que faz sentido. Quando estagna é porque não se vendem casas, quando regride, significa que as que não se vendem, são assaltadas. Parece-me óbvio.

Com o mercado em queda livre, o que se faz na Europa? Baixa-se o preço. O que se faz em Portugal? Dá-se um toque nos anúncios de vendas de apartamentos: Simpático T3 com muita personalidade. Descascado até ao osso. Óptimo para remodelar. Ou então: Carismático T5 na Avenida de Roma, com varanda arrojada. Venha ver. Não vai acreditar. Ou ainda: T1 + 1. Venha visitar pois na verdade é um T2 pois o outro quarto também tem janela.

Brilhantes estratégias de Marketing. Uma humanização de algo que não tem coração, mas que assim só apetece comprar, embrulhar e tratar. Tadinhos. Só um ser frio e racional fica indiferente e resiste à compra por impulso. Afinal estão ali imóveis à espera de um novo dono. Imóveis que sentem, são simpáticos, riem e choram.

São estratégias como estas que podem dar a volta ao país. Esta lição de humanização dos Imóveis pode ser adaptada para outros sectores. A Política por exemplo. Também está em crise. Porque não colocar anúncios para vender Políticos. Ninguém compra? E se for assim: Vende-se Sócrates espaçoso, muito simpático durante o dia, com excelente insonorização. Aqui não vai ouvir nada. Ou então: vende-se Manuela Ferreira Leite, bom estado geral, edifício de placa, sem elevador, a precisar de obras para se tornar mais comunicativo.

É a Humidade... porra!

Já é um "clássico" das reportagens jornalísticas, mas vale sempre a pena voltar a ver. Aqui fica:

video

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Saltar para fora da caixa

No mundo actual consegue-se fazer mais com menos. Mais notoriedade com menos investimento. Parece simples mas apenas Marketeers de primeira água chegam lá. A T-Mobile é uma empresa alemã de telefones móveis, e teve a ideia. Bailarinos profissionais misturaram-se com os que por lá passavam, na estação de metro Liverpool Street Station. Durante cerca de 3 minutos dançaram bem ensaiados ao som de um medley de músicas cheias de energia. Uma experiência inesquecível para quem lá passava e para quem vê o vídeo.
48 horas depois de ter sido filmado no local por câmaras escondidas, o "anúncio" estava nas TVs e, claro, na Internet. O vídeo já foi visto por mais de 9 milhões de pessoas, e a mensagem é clara: a vida é para ser partilhada. E logo no momento, a maioria das pessoas teve a mesma reacção: pegar no Telemóvel para filmar, tirar fotografias e ligar para comentar.


O porquê das coisas






Desde miúdo que andava intrigado com o C & A. O que quer dizer o "C" e o "A"? Adoro descobrir o significado de iniciais: BP - British Petroleum; BMW - Bayerische Motoren Werke; DJM - Deixem Jogar Mantorras... enfim, uma serie delas. Mas "C" e "A"?!


Finalmente, nos Saldos deste ano, passei pela montra que desvendou o mistério: é o Carlos e o António!